Afinal, leite faz bem ou mal?

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

leite faz bem ou mal

Muito se fala sobre o leite e há diversas opiniões a respeito sobre esse assunto. Não podemos negar que o leite é um produto natural que contém muitas vitaminas e sais minerais necessários para manter a saúde em dia. Nutricionalmente, ele representa um dos alimentos mais completos existentes.

Em nossa página no Facebook muitas pessoas deixam comentários quando colocamos algo sobre o leite, reunimos as principais questões e solicitamos a ajuda da Dra. Adriane E. C. Antunes, doutora em Alimentos e Nutrição pela UNICAMP e Pós-Doutora no Instituto de Tecnologia de Alimentos ITAL/TECNOLAT.

Acompanhe a entrevista.

Por que o homem é o único mamífero que permanece ingerindo leite na fase adulta da vida?
R: O homem parece ser o único mamífero adulto que continua a beber leite após o desmame. No entanto, muitos mamíferos adultos de outras espécies apreciam o leite. Porém, sendo o leite um alimento de alto custo, não costuma ser destinado à alimentação de animais, para os quais apenas é ofertado soro de leite oriundo da produção de queijo.

O desmame feito pelas fêmeas das diversas espécies ocorre não porque o leite deixou de ser adequado para a cria, mas sim para que a cria passe a ingerir outros alimentos, visto que suas necessidades nutricionais não são mais satisfeitas plenamente pelo consumo exclusivo de leite. Além disso, o desmame representa uma forma da fêmea de poupar energia, visto que em alguns casos ela está em novo processo de gestação.

Quais são os benefícios do leite de vaca?
R: O leite de vaca representa uma importante fonte de nutrientes para a dieta humana,
especialmente devido à sua composição proteica e mineral. Em relação às vitaminas, o leite é rico em vitamina B2, biotina e, sendo o leite integral, vitaminas A e D. Os lácteos representam a melhor fonte de cálcio dietético, beneficiando a saúde óssea e dos dentes. Além do alto valor nutricional, o leite contém componentes com propriedades funcionais.

O homem, assim como qualquer outro animal, não poderia obter cálcio unicamente por ingestão de vegetais?
R: Primeiramente é preciso considerar que os organismos herbívoros e onívoros são fisiologicamente diferentes. Os ruminantes, por exemplo, precisam de muitas horas para realizar o processo digestivo, que inclui os eventos de mastigação, digestão e ruminação (a fibra não digerida no rúmen é regurgitada à boca para ser novamente mastigada). As girafas, por exemplo, passam quase 20 horas por dia se alimentando; prática não compatível com a dieta, fisiologia e atividade humana.

Outro fator importante é que, com os danos na camada de ozônio e o aumento da incidência
de câncer de pele, o homem tem se exposto menos ao sol e tem feito uso de protetor solar. A vitamina D, promotora da absorção intestinal do cálcio, necessita ser ativada a partir de seu precursor, pela ação de raios ultravioleta.

Portanto, é conveniente que o homem tenha boas fontes de cálcio dietético para evitar
ocorrência de osteoporose na terceira idade.

Quais os problemas de saúde relacionados com o consumo de leite?
R: Para algumas pessoas o consumo de leite e/ou produtos lácteos deve ser parcialmente ou completamente restringido devido a disfunções tais como hipersensibilidade às proteínas do leite de vaca, intolerância à lactose, hipersensibilidade às aminas biogênicas e galactosemia.

A versão integral do leite contém ácidos graxos saturados e colesterol e, portanto, produtos
lácteos desnatados ou nas versões light devem ser preferidos por pessoas com dislipidemias (ex.: hipercolesterolemia) e doenças coronarianas.

Por que o leite pode causar alergia em algumas pessoas e em outras não?
R: É conveniente esclarecer que existe uma confusão entre as pessoas entre intolerância à lactose (ou hipolactasia) e alergia ao leite (ou hipersensibilidade ao leite).

A primeira se refere à incapacidade de digerir a lactose, que representa o “açúcar do leite”,
devido à deficiência ou ausência da enzima lactase (ou b-galactosidase).

Alergia alimentar é decorrente de uma reação do sistema imunológico a proteínas ou parte
dessas moléculas (antígenos), provocando em resposta a liberação de anticorpos, histamina e outros agentes defensivos. A hipersensibilidade ao leite está relacionada, portanto, com a
fração proteica do leite e é uma doença quase que exclusiva dos lactentes e da infância,
normalmente desaparecendo entre os 3 e 4 anos de idade.

Embora haja certa homologia entre a composição proteica do leite de vaca e do leite humano, há também substanciais diferenças tanto quanto ao tipo de proteínas presentes quanto às suas quantidades relativas.

No leite de vaca é encontrada a proteína b-lactoglobulina que é ausente no leite materno. Essa proteína pode desencadear alergia alimentar em alguns bebês e adultos. Não existe consenso em qual seja a proteína do leite de maior alergenicidade no leite de vaca, embora a a-lactoalbumina e a aS1-caseína sejam acusadas de serem as proteínas mais alergênicas

** Dra. Adriane E. C. Antunes é doutora em Alimentos e Nutrição pela UNICAMP e Pós-Doutora no Instituto de Tecnologia de Alimentos ITAL/TECNOLAT (2008), docente em regime de dedicação exclusiva da Faculdade de Ciências Aplicadas da UNICAMP, Campus de Limeira, na Faculdade de Nutrição. É também autora do livro “Leite para Adultos: mitos e fatos frente à ciência” , juntamente com a Dra. Maria Teresa Bertoldo Pacheco.

Fonte: Idmed

Visite regularmente os profissionais de saúde e alimentação de sua confiança. Esse site possui conteúdo meramente orientativo e complementar.

19 ideias sobre “Afinal, leite faz bem ou mal?

  1. Muito bom ler isso! Existem tantas dúvidas e crendices a respeito do leite, que afinal é um alimento muito importante na vida das pessoas. Bom ter informações sensatas e bem referenciadas.

  2. Excelente! Agradeço ao site pela matéria e a Dra. Adriane por esclarecer as dúvidas! Minha mãe tem uma amiga nutricionista, e ambas me atormentam todos os dias pedindo para que eu exclua o leite porque faz mal, porque todos os animais não consomem leite na fase adulta, etc. Agora tenho informações sensatas! Obrigado!

    • Excelente matéria. Adoro leite e não vou deixar de tomá-lo por causa de algumas pesquisas que fizeram. É nutritivo, e só me faz bem. Não tenho problemas com alergias. Parabéns Dra. Adriane!

  3. Ótima informação. Gostaria de saber se o leite que é encontrado hoje nos supermercado que se dizem sem lactose, é verdade? Faz bem a saúde?

    • Olá Aris, sim é verdade! O leite zero lactose geralmente é recomendado para pessoas intolerantes à lactose. Na dúvida, consulte a orientação de um profissional ;) Abraços

  4. Depois de ler essa matéria me sinto mais feliz, adoro leite. As pessoas falam tão mal desse alimento que resolvi pesquisar. Felizmente, encontrei este site confiável, com informações de quem entende do assunto.
    Muito obrigada, Dra. Adriane.

  5. Muito esclarecedora a reportagem. Por que os nutricionista não indicam leite de vaca e querem substituir por leite de arroz, de amêndoa, de castanha e produtos de bufalá? Em minha opinião cada alimento contém nutrientes importantes para uma qualidade de vida, inclusive leite de vaca integral. Leite de vaca faz parte da cultura brasileira .
    Mart Diniz

  6. Adorei o artigo, extremamente esclarecedor para quem, como eu, rema contra a maré de dietas mirabolantes que excluem leite e glúten. Só gostaria de mais um esclarecimento, como sou diabética (tipo II), devo optar pelo leite sem lactose? Obrigada!

    • Olá Sonia, primeiramente agradecemos sua mensagem. No seu caso, recomendamos que consulte um profissional da área de saúde para que ele possa avaliá-la corretamente e fazer a indicação conforme suas necessidades. Abraços

  7. Muito obrigada pelo esclarecimento, sobre o leite, eu adoro um cafezinho com leite, foi de grande valia, seus comentários Dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>