Sua saúde com sabor de queijo!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Falar de queijo é navegar em um universo gigantesco, rico em história, descobertas científicas e, principalmente, sabor. Fonte de nutrientes, como proteínas de alto valor biológico, vitaminas (A, D e do complexo B) e minerais (cálcio, fósforo e zinco), o queijo pode ser o coringa de uma alimentação equilibrada.

A grande variedade de queijos é possível graças à diversidade de seu processo de fabricação, no qual podem variar o tipo de leite (de vaca, cabra, vegetal), a coagulação, teor de gordura, consistência da massa, período de cura e tipo de casca. A tecnologia também se tornou uma aliada do produto, com empresas especializadas em todas as etapas de processamento.

20170703_NPS_Blog_Queijos

 

Escolha nutricional

Queijos como gorgonzola e parmesão, com maior concentração de gorduras, devem ser ingeridos em menor quantidade e frequência. Já alternativas como minas frescal light, ricota e cottage podem fazer parte do cardápio diário, sempre com moderação), pois contêm menos sal e gordura.

Essa variação nos queijos não ocorre somente com os lipídios, explica a nutricionista Cynthia Antonaccioda consultoria Equilibrium. “Existem aproximadamente 17,4g de proteína em cada 100g de minas frescal, enquanto que o parmesão reúne até 35,6g na mesma quantidade”, afirma.

Em relação ao cálcio, o provolone é um dos campeões, junto com gruyère e de cabra. Vale lembrar que uma alimentação rica em cálcio é extremamente importante para fortalecer a estrutura óssea do corpo e evitar a osteoporose.

Para todos os gostos e intolerâncias

“O consumo de queijos pode variar de acordo com a preferência e as necessidades nutricionais de cada um”, reforça Cynthia. Quem tem intolerância à lactose, por exemplo, não precisa abrir mão e já consegue encontrar opções sem lactose, às quais é adicionada a enzima lactase – que faz o trabalho que alguns organismos não conseguem executar: quebrar o carboidrato em dois componentes (glicose e galactose).

Queijos obtidos a partir de extenso período de maturação também são alternativas, pois têm sua lactose degradada por microrganismos. Os tipos com menores percentuais desse carboidrato são parmesão, brie, camembert, gouda, emmental, gorgonzola e cheddar.

E na hora de combinar com outros nutrientes, a escolha fica a critério de cada um. “O queijo é bem versátil e pode ser consumido com diversos alimentos”, lembra a nutricionista.

Cynthia dá algumas dicas de como combinar diferentes tipos de queijo com acompanhamentos deliciosos:

  • - a muçarela de búfala fica ótima com saladas e massas;
  • - o brie vai bem com torradinhas ou pão italiano, acompanhado de geleia de frutas ou não;
  • - o queijo minas fica uma delícia com goiabada ou recheio de lanches frios e
  • - o parmesão ralado acompanha bem molhos.

A única ressalva é evitar o consumo de queijo junto com fontes de ferro, como o feijão e a carne, já que o cálcio prejudica a absorção do componente. 

Pronto para escolher o seu favorito?

Antes, confira abaixo algumas curiosidades que separamos sobre o produto e descubra por que o queijo é considerado um mito culinário!

Curiosidades sobre os queijos

  • - As principais variedades de queijo levam o nome da região em que são produzidos são: Cheddar de Cheddar, Reino Unido; Gorgonzola da cidade italiana de mesmo nome; Brie de Brie, ao leste de Paris; Camembert faz referência uma cidade da Normandia; Gruyère tem o nome de uma cidade na Suíça; Roquefort de Roquefort-sur-Soulzon, na França.
  • - A maioria dos queijos é tradicionalmente produzida em rodas. O formato era fácil de transportar na era pré-industrial e as rodas também tornam fácil o armazenamento para maturação.
  • - O primeiro queijo do mundo foi produzido com leite de cabra.
  • - O queijo suíço tem furos por causa do CO2 liberado pelas bactérias que vivem dentro dele. E seu gosto se deve aos ácidos que elas geram.
  • - O queijo industrializado é feito com leite pasteurizado, ou seja, que foi fervido para matar as bactérias naturais – e só contém bactérias cultivadas em laboratório, adicionadas artificialmente.
  • - O Brasil produz mais de 70 tipos de queijos. Os mais famosos são o serro, canastra, salitre, araxá, marajó, colonial, serrano, coalho, queijo minas e do reino.

O resultado da receita pode variar de acordo com a qualidade dos ingredientes e habilidade durante o preparo

Visite regularmente os profissionais de saúde e alimentação de sua confiança. Esse site possui conteúdo meramente orientativo e complementar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>